Poupança x Renda Fixa x FII | Por Guilherme Monteiro

The following two tabs change content below.
Investidor de renda imobiliária através de fundos imobiliários e desenvolvimento (construção) de imóveis para renda. Possui especialização / MBA em Mercado de Capitais.

Últimas postagens de Guilherme Monteiro (see all)

Poupança x Renda Fixa x FII | Por Guilherme Monteiro

 

Neste artigo, analisaremos detalhadamente investimentos comparando e entendendo as diferenças entre poupança, renda fixa e um fundo imobiliário.

 

As escolhas fazem parte do nosso dia a dia. Muitas delas podem ser delegadas à terceiros sem nos preocupar. Porém, quando se trata de finanças, algo tão relevante no nosso dia a dia, que determina por exemplo quando vou poder parar de trabalhar, é importante agir com consciência. Definitivamente não é o gerente do seu banco que dirá qual o melhor investimento para você.

 

Pois bem, dada a importância do investimento em nossas vidas venho aqui demonstrar um estudo comparando poupança, renda fixa e um fundo imobiliário, o FII HGBS11.

 

Adianto que você deve considerar que o foco desse estudo não é apresentar o MELHOR investimento, uma vez que investir envolve diferentes tipos de estratégias, que levam em consideração o perfil do investidor, o momento de sua vida, necessidade de liquidez ou meios de diversificação.

 

 

Usando a renda fixa ou poupança como meio de investimento 

 

Há um certo preconceito por parte de muitos investidores em aplicar dinheiros nestes produtos. Porém eles podem ser grandes aliados quando usados estrategicamente.

 

Como exemplo algumas características para ser consideradas:

1) Saber o quanto o seu dinheiro vai render no prazo em que você determinou.

2) Ter uma reserva de contingência para emergências.

3) Pode ser usado como um caixa para se aguardar um melhor momento de se investir em algum fundo imobiliário ou ação, desde que com boa liquidez.

 

 

DEMONSTRANDO OS RETORNOS

 

IMG_0689.jpeg

Fonte: Bacen / Hedging Griffo

 

O exemplo do quadro comparativo apurou o retorno total de 3 tipos de investimentos, poupança, renda fixa 85% CDI e o Fundo de Investimento Imobiliário Hedge Brasil Shopping.

 

 

POUPANÇA

 

No primeiro exemplo demonstrado na tabela, temos a poupança, que gerou um retorno total de 117% em 11 anos.

O valor passou de R$ 100.000 para R$ 188.998 quando aplicados somente pelo IPCA no período.

Note então que quando descontada a inflação, temos o retorno real da poupança, ínfimos 28%, em 11 anos.

 

 

RENDA FIXA

 

Olhando agora para a renda fixa considerando 85% do CDI, uma média dos grande bancos, obteve-se retorno total de 165%. Retorno que não considera 15% de imposto sobre ganho de capital no dado período, que é descontado no momento do resgate da aplicação, mesmo assim temos um resultado melhor que a poupança.

 

 

FII HGBS11

 

Já na aplicação em Fundo Investimento Imobiliário, o HGBS11, do segmento de shopping center, repare no retorno consideravelmente mais elevado, total de 259%. Também não considerado 20% de imposto sobre ganho de capital (diferença no valor da cota) em caso de venda do FII.

 

Neste terceiro exemplo, é importante entender que estamos lidando com um investimento em renda variável, assim, o valor da cota varia em função do mercado, podendo influenciar a rentabilidade no curto prazo. O objetivo mais considerado entre investidores de FIIs é ter parte de um ativo (no caso aqui cotas de shoppings center), e receber os rendimentos gerados por ele se perdurando por um longo prazo, e não realização de compra e venda para lucrar em uma possível alta no valor das cotas no curto prazo.

 

Vale lembrar que em Fundos Imobiliários é possível obter ganhos tanto valorização da cota quanto na distribuição de rendimentos, e ainda assim reinvestir os rendimentos (quase sempre mensais) e assim alavancar o retorno.

 

No gráfico apresentado pela Credit Suisse, antigo gestor do fundo, note a diferença que faz o rendimento, no resultado em longo prazo, quando somado ao valor da cota.