Boletim Semanal FII´s (09/09/19 – 13/09/19) | Por Danilo Bastos

The following two tabs change content below.
Desde 2004 no mercado, sempre seguindo a filosofia Buy and Hold e foco em dividendos. Possui MBA em Mercado de Capitais, graduação em Finanças e é um dos autores do livro Guia Suno Fundos Imobiliários.

Boletim Semanal FII´s (09/09/19 – 13/09/19) | Por Danilo Bastos

 

 

BCIA11

Emitiu relatório gerencial informando que, em agosto, o Bradesco o fundo apresentou rentabilidade de 0,92%. O bom desempenho no mês se deve à performance de ativos nos segmentos de lajes corporativas, shopping centers e galpões logísticos. Foi mantida a distribuição de proventos em nível elevado (R$ 0,85/cota), totalizando R$ 9,30 por cota nos últimos 12 meses, o que equivale a um dividend yield de 7,5% em relação à cota patrimonial e de 6,9% em relação à cota a mercado, ambas no fechamento do mês. No período, foi exercido o direito de preferência na oferta do XP Malls, nossa maior exposição no segmento de shoppings.

 

BPFF11

Emitiu relatório gerencial informado que grande parte dos recursos da 2ª emissão foram alocados de forma que o fundo ultrapassou os 90% de alocação em FIIs em 27 de agosto. O fundo chegou ao final do mês com 91,61% da carteira em fundos imobiliários. Em relação aos ativos da carteira, foi reduzido posição em SPTW, VISC, HGRE, e JRDM e aumentado posição em KNIP, XPML, HGLG, HGBS11, HGCR, KNCR, RBRR, KNRI e BBPO. Também ocorreu resgate antecipado de um CRI de Rede D’or. Sendo assim, os 91,61% do portfólio alocado ficou dividido em 31 FIIs, e o restante da carteira finalizou composta por 6,26% de títulos públicos e 2,13% de CRIs.

 

BRCR11

Divulgou ata da AGE realizada no dia 10/09, ressaltando que após esclarecimentos iniciais, a deliberação sobre a Ordem do Dia restou prejudicada pois a Administradora decidiu por bem retirar da Ordem do Dia a Proposta da Administradora.

 

CBOP11

Divulgou relatório gerencial informando que durante o mês de agosto de 2019 não houve alteração na ocupação do Fundo, que permanece com apenas um andar disponível para locação, perfazendo uma taxa de vacância financeira de aproximadamente 7%, porém uma das locatárias do edifício notificou a devolução de meio andar, reduzindo sua ocupação no imóvel para dois andares e que deve levar a vacância financeira do fundo para 14%, caso a desocupação de fato se concretize até o fim do ano. O resultado distribuível recorrente do Fundo melhorou durante o primeiro semestre de 2019, atingindo um patamar de R$0,54 por cota no final do 1º semestre do ano. Com isso, para atender a necessidade de distribuição mínima obrigatória (95% dos lucros em regime de caixa), houve um aumento no rendimento anunciado no mês de junho para R$0,52 por cota, o qual foi mantido para o mês de julho e agosto, porém a distribuição poderá ser ajustada por conta do possível aumento de vacância.

 

CPTS11

Emitiu comunicado sobre o encerramento do período de exercício do direito de preferência, que contou com a subscrição de 584.157 novas cotas, no montante total de R$ 57.002.040,06, excluídos os valores referentes ao custo unitário de distribuição, restando, portanto, 953.043 novas cotas, no montante total de R$ 92.997.935,94  que poderão ser subscritas e integralizadas pelos investidores no âmbito da Oferta.

FCFL11

Convocou para a Assembleia Geral Extraordinária de Cotistas, a ser realizada no dia24 de setembro de 2019, às 10:00 horas da manhã, na Cidade de São Paulo, Estado de São Paulo, à Avenida Brigadeiro Faria Lima, nº3.477,14º andar. A Assembleia Geral Extraordinária terá como ordem do dia deliberar sobre o desdobramento da totalidade das cotas de emissão do Fundo (“Cotas”), utilizando por base a posição de fechamento do Fundo em 30de setembro de 2019 (último dia útil do mês), na proporção de 1:20, de forma que, depois do desdobramento, para cada Cota existente serão atribuídas ao respectivo titular 19(dezenove) novas Cotas, totalizando 20 (vinte) Cotas. As Cotas do fundo passarão a ser negociadas na forma desdobrada a partir da abertura dos mercados do dia 01de outubro de 2019 e as novas Cotas serão creditadas nas contas de depósito dos cotistas no dia 03 de outubro de 2019, conferindo aos seus titulares os mesmos direitos das Cotas previamente existentes.

 

FFCI11

Emitiu fato relevante informando o encerramento do prazo do direito de preferência da 7ª emissão. Foram subscritas 110.313 novas cotas pelo preço de emissão de R$171,93, restando não subscritas 608.608 novas cotas (“Sobras”), disponíveis para subscrição no âmbito da emissão. Cada Cotista que exercer seu direito de preferência terá o direito de subscrição das sobras, na proporção do número de novas cotas por ele subscritas no  fator de proporção a ser considerado para fins do direito de subscrição de sobras é 440,940409346%. O direito de subscrição das sobras vai de 12 de setembro de 2019 a 18 de setembro de 2019.

 

FIIB11

Emitiu relatório gerencial destacando os seguintes pontos:

OCUPAÇÃO: Em 20 de julho de 2019 foi recebido contrato assinado da empresa que irá ocupar o Bloco 3 -módulo B com área de 725,65 m², com início em 15 de setembro de 2019. A receita de locação provisionada para recebimento em setembro totaliza a importância e R$ 2.081.778,49, e não existem eventos previstos para os próximos 6 meses que possam impactar significativamente tal receita, cuja média projetada para o período mencionado, já considerando as ocupações e desocupações mencionadas no item 2acima sinaliza um acréscimo de 2,05%.

IPTU: Encontra-se pendente de pagamento o IPTU, no montante R$ 41.504,73. Deste montante, R$ 2.484,49 encontra-se em cobrança judicial.

CONDOMINIO: Encontra-se pendente de pagamento de Condomínio, no montante R$22.371,22. Deste montante, R$ 18.895,84 encontra-se em cobrança judicial.

ALUGUEL: Inadimplência temporária em cobrança extrajudicial em agosto de 3,20%.

 

FLRP11

Emitiu fato relevante informando que durante o período de exercício do direito preferência, houve a colocação de 3.172 cotas, remanescendo 952 cotas, no montante de R$ 1.167.485,20, que começaram a ser distribuídas a partir de 09 de setembro de 2019.

 

GRLV11

Emitiu relatório gerencial informando que no mês de agosto, o Fundo celebrou uma expansão com a atual locatária Renovigi para a ocupação do módulo 13 do condomínio de 2.521 m² de ABL, reduzindo sua vacância para 4,5%. Dessa forma, o GR Louveira possui somente o módulo 14 de 2.510 m² de ABL1de vacância, tornando-se o novo foco de atuação do time de gestão. Vale ressaltar que o Fundo recebeu um adiantamento do aluguel da Renovigi que alterou o resultado por cota para R$ 0,69, porém ainda não representa o novo valor de expansão da locatária. Apesar dessa nova receita, o rendimento de R$ 0,64 por cota é ainda o cenário considerado como ideal para o semestre.

No âmbito da manutenção do imóvel, a obra de contenção está finalizada, essa consiste na construção de um muro com alvenaria de bloco estrutural que reforça a estrutura de gabião existente. Além disso, será realizada a reconstrução da calçada sobre o trecho onde ocorreu a intervenção.

 

HGBS11

Divulgou fato relevante informando o encerramento da 8ª emissão. Foram subscritas e integralizadas, ao todo, 3.281.350, pelo preço por Cota de R$230,85, equivalentes a um montante de R$ 757.499.647,50. Não incluindo o custo unitário de distribuição.

HGCR11

Emitiu comunicado informando que os recibos de subscrição (HGCR13 e HGCR14) transformar-se-ão em cotas do fundo (HGCR11) na abertura dos mercados do dia 1º de outubro de 2019, de modo que todas as cotas integralizadas durante a 6ª emissão de cotas do fundo apenas poderão ser negociadas a partir desta data. Adicionalmente, em 30 de setembro de 2019, existirá um anúncio de distribuição de rendimentos para cada recibo de subscrição (HGCR13 e HGCR14, separadamente), correspondente ao resultado de aplicação financeira destes recursos nos respectivos períodos, os quais serão pagos em 14de outubro de 2019. Após o anúncio de distribuição de rendimentos que será divulgado em 30 de setembro de 2019, todas as cotas devidamente emitidas, subscritas e integralizadas farão jus a futuras distribuições de rendimentos em igualdade de condições.

Divulgou relatório gerencial informando que durante o mês, a cota ajustada do Fundo em bolsa apresentou variação de +4,1%. No ano, a variação é de 9,9% (vs 4,2% do CDI e 13,0% do IFIX) e nos últimos 12 meses é de 22,2% (vs 6,3% do CDI e 24,2% do IFIX).

Durante agosto, o Fundo apresentou resultado total de R$ 6,2milhões, equivalente a R$ 1,05/cota, tendo encerrado o mês com saldo de R$ 6,4 milhões (R$ 1,09/cota) de resultados acumulados em períodos anteriores e ainda não distribuídos. O Fundo encerrou agosto tendo distribuído 69,6% do resultado auferido até então. Durante o mês, foi realizada a locação líquida total de R$ 30,9 milhões, nas seguintes operações;

(i) Aquisição de R$ 30,2 milhões do CRI V-House, cujo lastro são debêntures emitidas pela SPE proprietária do V-House, empreendimento de alto padrão localizado na Av. Eusébio Matoso, na zona oeste de São Paulo. O CRI conta com as garantias da cessão fiduciária dos aluguéis provenientes da locação das unidades do empreendimento, alienação fiduciária do imóvel (LTV 58%), Aval da JFL Holding e fundo de reserva em valor equivalente a 1,5x a parcela mensal do CRI;
(ii) Aquisição de R$ 10,9milhões no CRI Upcon, que tem como lastro debêntures emitidas pela Upcone possui prazo remanescente de aproximadamente 3 anos e remuneração de IPCA + 11,00% a.a.. O CRI conta com alienação fiduciária de imóveis e cotas de SPEs de empreendimentos localizados em São Paulo (LTV 69%) ou em sua região metropolitana como garantia, além de fundo de reserva em valor mínimo de três parcelas mensais do CRI e fundo de obras, que tem como destinação a finalização das obras de um dos empreendimentos em garantia;
(iii) Aquisição de R$ 9,1 milhões do CRI Rio Ave à taxa de 7,00% a.a.;
(iiii) Aquisição de R$ 1,6 milhão do CRI Direcional, que possui vencimento em dezembro de 2019, à taxa de CDI+0,20% a.a.. O CRI conta com a alienação fiduciária de cotas de SPEs como garantia (LTV 26%).
(v) Venda de R$ 10,2 milhões do CRI BR Foods à taxa média de IPCA + 5,45% a.a.. O CRI havia sido originalmente adquirido pelo Fundo em janeiro de 2019à taxa de IPCA + 7,00% a.a.. Tal venda gerou resultado caixa de R$ 1,4 milhão para o Fundo no mês de agosto;(vi)Venda de R$ 10,7 milhões do FII Barigui Rendimentos com realização de lucro de R$ 734 mil reais para o Fundo no mês de agosto;

O Fundo encerrou o mês com 85,9% do seu patrimônio alocado em CRIs ou FIIs.

 

HGFF11

Emitiu o primeiro relatório gerencial. O Fundo teve a sua 1ª Emissão de cotas encerrada no dia 22 de agosto de 2019, sendo que suas cotas passaram a ser negociadas no mercado secundário no dia 27 de agosto de 2019. No mês de agosto, logo no dia seguinte ao encerramento da oferta, foi dado início ao processo de alocação dos recursos e o mês de agosto foi encerrado com recursos alocados no XP Malls FII, VBI Logistíco FII e HSI Malls FII.

Dentre as principiais estratégias, foram destacadas as seguintes, que deverão possuir uma maior concentração na carteira do Fundo:

(i) Recebíveis: enxergamos em fundos de certificados de recebíveis imobiliários uma possibilidade de diversificação de caixa a taxas mais atraentes. Vale ressaltar que, em tal investimento, buscamos sempre analisar a carteira de CRIs, volume de negociação, taxas e prazos médios, dentre outros.
(ii) Lajes Corporativas: o baixo índice de novas entregas, aliado à possível maior demanda por escritórios comerciais, já está se refletindo na redução de vacância e aumento do preço pedido médio em determinadas regiões da cidade de São Paulo. Nesse sentido, vemos oportunidades de aquisição de fundos que possuam ativos de alta qualidade e bem localizados, mas que ainda apresentam vacância elevada, carências e aluguéis médios inferiores ao visualizado no mercado.
(iii) Logística: O avanço do e-commerce, bem como a perspectiva de melhora da economia, vem impulsionando a recuperação dos índices do setor. Dessa forma, temos analisado oportunidades de aquisição de fundos imobiliários detentores de ativos próximos a grandes centros urbanos, devidamente locados através de contratos mais longos ou atípicos.  
(iiii) Shoppings: A retomada da economia, refletida no aumento do volume de vendas do varejo, impacta diretamente na melhora do mercado de shopping centers. Nesse caso, buscamos o investimento em fundos que possuam ativos bem localizados, com administradores conhecidos e que possuam índices sólidos ou com perspectiva de melhora (i.e. vacância, inadimplência, vendas).

A gestão ressaltou que será dada prioridade aos fundos imobiliários que possuam maior liquidez no mercado secundário e que estejam sendo negociados a preços que, devem ser ajustados em linha com a perspectiva de distribuição futura de rendimentos do Fundo, de acordo com análise da equipe de gestão.

 

HGLG11

Divulgou relatório gerencial informando que no mês de agosto, o Fundo reconheceu como rendimento uma receita extraordinária de aluguel relacionada ao imóvel Volkswagen Vinhedo locado por um contrato de locação com um pagamento anual de aluguel. Como parte das condições da compra, foi negociado com o vendedor o recebimento, pelo comprador (o Fundo), o resultado aproximado relativo às competências de aluguel do dia 8 de março de 2019 data de envio da proposta de compra aceita pelo vendedor-até a conclusão da transação em 29 de julho de 2019, conforme Fato Relevante divulgado. Tal rendimento foi negociado como uma condição da compra com o objetivo de atenuar os efeitos do vencimento anual do aluguel na apuração de resultados do Fundo. Dessa forma, o resultado deste mês de R$ 1,60 por cota não representa a média de resultado do Fundo, porém este rendimento irá compor o saldo de resultado acumulado que será utilizado para manter um patamar de distribuição linear e sustentável. Ainda neste mês, o Fundo passou a marca dos 100 mil cotistas, sendo negociados R$ 177 milhões em cotas em agosto o que representa 9,8% de giro das atuais cotas. Resultado da 5ª Emissão do Fundo que finalizou no mês anterior e elevou o patrimônio do fundo para R$ 1,5 bilhão com o total de 11.882.212 de cotas. Sobre os novos locatários, o Fundo já iniciando tratativas para a prospecção de demanda para as áreas vagas no Condomínio SJC e manutenção dos atuais locatários.

 

HGPO11

Divulgou relatório gerencial informando que durante o mês de agosto não ocorreram novas movimentações nos edifícios do Fundo, sendo assim, a vacância física permanece em 1,73%, equivalente a um andar do Ed. Platinum. Os trabalhos de revisão e renegociação dos contratos de locação continuam em curso e poderão gerar impactos positivos na geração de caixa do Fundo.

 

HGRE11

Emitiu comunicado informando sobre o término do período de exercício do direito de preferência, que contou com a subscrição de 1.065.502 cotas, no valor de R$ 149.148.969,96, excluídos os valores referentes ao custo unitário de distribuição. No dia 9 de setembro de 2019, iniciou o período de subscrição de cotas remanescentes, conforme definições constantes no prospecto definitivo.

Divulgou relatório gerencial informando que a carteira de imóveis do Fundo encerrou o mês de agosto com 18,35% de vacância financeira e 18,77% de vacância física, redução causada pela celebração de duas locações, uma de aproximadamente 1.000m² no Ed. Berrini One e outra de 500m² no Ed. Verbo Divino. O resultado distribuível foi de R$0,76 por cota, alinhado com a geração de caixa atual do fundo. A gestão ressaltou que, comercialmente, seguem confiantes com a redução da vacância do fundo, com um volume alto de procuras, visitas e propostas de locação em andamento para diversos ativos, incluindo o Ed. Verbo Divino.

 

HGRU11

Emitiu relatório gerencial infirmando, em relação à expansão do ativo Ibmec, que o inquilino pediu prorrogação das exigências finais do corpo de bombeiros por mais 60 dias, porém caminham para a finalização da expansão e do licenciamento da obra. Após o cumprimento de tais exigências, o inquilino providenciará a emissão das respectivas licenças para a nova área, que também é de propriedade do Fundo e será integrada ao contrato de locação após emissão de toda documentação 

 

HSML11

Emitiu o primeiro relatório gerencial informando que a alocação do HSI Malls no final de agosto em ativos-alvo da 1º Oferta Pública de Cotas era de 85,03% do seu capital. O restante do caixa previsto para a aquisição dos ativos-alvo será alocado durante o mês de setembro conforme previsto nos documentos da oferta. Foi destacado 3 indicadores dos ativos: O primeiro é a “última linha”.  O Shopping Pátio Maceió e o Shopping Granja Vianna, que já fazem parte do portfólio do HSI Malls, terminaram os 7 primeiros meses do ano com resultado 9,5% acima do mesmo período de 2018 e 1% acima do orçado em 2019. Em julho o resultado dos Shoppings foi 4,2% acima do previsto. As linhas com maior impacto positivo foram as receitas de estacionamento, receitas de mall e as receitas provenientes do aluguel percentual das lojas. O segundo são as vendas, pilar dos shoppings. O resultado acumulado do valor total de vendas dos Shoppings até julho é 10% maior comparado com o mesmo período do ano anterior. Lembrando que a economia do país cresce no ano abaixo da previsão original do mercado. Para o segundo semestre, a expectativa é positiva baseada em duas variáveis principais: a queda da taxa de juros, há um consenso no mercado para a Selic no final do ano de 5%, e a liberação a partir de setembro, de R$ 28 bilhões de reais das contas do FGTS até o final de 2019. Outros R$ 12 bilhões serão liberados no primeiro semestre de 2020. O último indicador é o comercial. O Pátio Maceió aumentou sua ocupação no ano e terminou o mês de julho com 98%. Este percentual tem aumentado a pressão positiva sobre os valores de locação. Já o Granja Vianna, perdeu ocupação nos 7 primeiros meses terminando julho com 92%. No entanto, o saldo comercial do Shopping no período é positivo, uma vez que durante estes meses, movimentações qualitativas relevantes aconteceram. A loja da Centauro foi atualizada para sua última geração e a Riachuelo iniciou a sua expansão.

KNHY11

Convocou para AGE a ser realizada às 09:00 horas do dia 27de setembro de 2019, na Avenida Brigadeiro Faria Lima, nº 3.500, 1º andar, sala F112, São Paulo, Estado de São Paulo, a fim de deliberar sobre a aprovação da 2ª emissão de cotas do fundo (CVM 400). A quantidade de cotas inicialmente ofertada será de até 4.500.000 cotas e poderá ser acrescida de um lote adicional equivalente a até 20%.

 

MAXR11

Emitiu fato relevante comunicando aos cotistas e ao mercado em geral que, até o dia 09/09 o fundo não havia recebido da locatária CURSOPREPARATÓRIO EXATASLTDA –ME locatária do imóvel localizado em Taguatinga, Lotes 02,03,04,16,17 -CSA 01 -Quadra D-Brasília –DF, o pagamento do aluguel referente a competência de  agosto de 2019 com vencimento em setembro de 2019. Dessa forma, a distribuição de rendimentos relativa à competência junho de 2019, divulgada no dia 06/09/2019, foi impactada negativamente em aproximadamente 14,26% por esta inadimplência. A Administradora ressaltou que o Fundo cobrará multa e os encargos devidos, conforme previsto no contrato de Locação e, após o recebimento do devido valor, este será distribuído aos cotistas do Fundo.

 

MGFF11

Emitiu comunicado informando que no dia 12/09/2019, ficaram liberados os negócios com as cotas da 3ª emissão subscritas no período de direito de preferência, por meio do código de negociação MGFF11.

 

RBED11

Divulgou fato relevante informando sobre a aprovação da segunda emissão de cotas do fundo (CVM 476, restrita). O valor total da oferta, incluindo a subscrição por meio do exercício do direito de preferência e a subscrição no âmbito da oferta restrita, é de até R$ 250.000.045,68, correspondente a até 1.678.754 novas cotas, pelo valor unitário de R$ 148,92 ou R$ 153, 31, se considerados os custos da oferta. Para a fixação do valor das cotas da 2ª Emissão foi utilizado o valor patrimonial do Fundo. O Montante Inicial da Oferta poderá ser acrescido, a critério do Coordenador Líder, em até 20%. Direito de preferência aos cotistas, detentores de cotas na posição de fechamento no dia da divulgação deste fato relevante (10 de setembro de 2019), conforme aplicação do fator de proporção para subscrição de cotas de 223,27016611%.

 

RBRF11

Informou o encerramento da distribuição pública da 4ª emissão do Fundo. Foram colocadas um total de 1.701.606 cotas, com valor unitário de R$ 103,04. Também foi divulgado relatório gerencial informando que a expectativa é finalizar a alocação dos recursos da 4ª emissão em setembro. No mês de agosto, as vendas de FII e CRI totalizaram aproximadamente R$10mm com redução e/ou zeragem de 7 ativos com ganho de R$0,27 / cota líquidos de IR.

 

RBRR11

Emitiu relatório gerencial informando que o realizou 4 novos investimentos e aumentou a posição em 3 CRIs em agosto, atingindo 91% alocado em ativos imobiliários. No dia 17/08, foram investidos R$32 milhões no CRIJFLV-House, remunerando a IPCA+7,00% ao ano, LTV de 60% com a Alienação Fiduciária de edifício residencial localizado no bairro de Pinheiros, São Paulo. Foi concluída a alocação da 3ª emissão de cotas realizada em abr/19. Foram 4 meses de alocação, 2 meses abaixo da previsão indicada nos documentos da 

 

RNGO11

Emitiu relatório gerencial informando que no mês de julho de 2019, o resultado do fundo foi de R$0,52 / cota, em linha com o resultado gerado. A vacância do fundo em julho fechou em 19,5%, contra uma vacância de mercado de aproximadamente 29,4%, segundo dados da Buildings. A vacância atual já contempla todas as movimentações de inquilinos divulgadas ao mercado até o período de referência do 

 

SDIL11

Divulgou relatório gerencial informando que a Rio Bravo e SDI estão trabalhando para a rápida alocação dos recursos disponíveis no caixa do Fundo, seguindo o Estudo de Viabilidade apresentado na oferta, sendo que já há ativos em prospecção e diligência que alocariam parte relevante do capital disponível para investimento. No dia 25/06/2019 foi comunicada a assinatura de um compromisso de compra e venda para a aquisição de um empreendimento localizado na região Sudeste, com área locável de 37.000 m² e valor de aquisição de R$85milhões, ambos os valores aproximados. A conclusão da aquisição do ativo está em fase final de diligência e os próximos eventos serão comunica dos via fato relevante ao mercado. As gestoras trabalham para a melhoria dos empreendimentos do fundo e alguns investimentos estão sendo estudados, tais como a construção de um muro no empreendimento Multimodal Duque de Caxias, substituindo a cerca entre o condomínio e o terreno vizinho; melhorias no sistema de combate a incêndio no condomínio One Park, entre outras ações. As gestoras têm como foco dos esforços alocação dos módulos vagos no Multimodal, que apresenta hoje 14% de vacância, razoavelmente abaixo das taxas de vacância do mercado de Duque de Caxias.

 

TRLX11

Emitiu comunicado informando que substituição dos prestadores de serviço deliberada na AGC será realizada no dia 30 de setembro de 2019.A Referida data de corte ainda está pendente de confirmação, em função de aspectos operacionais relativos à efetivação da transferência. Eventual modificação na data de corte será oportunamente objeto de comunicação aos cotistas e ao mercado.

 

UBSR11

Emitiu relatório gerencial informando que o fundo encerrou o mês com 72,9% de seus recursos alocados em CRIs, distribuídos em 33 operações. O Fundo mantém a estratégia de conservar um elevado percentual de alocação em CRIs, com um consistente pipeline de novas operações que possibilita alocar os recursos do fundo com rapidez, recorrência e ênfase em operações com robusta estrutura de garantia. O patrimônio líquido do Fundo encerrou o mês em R$ 464.109.701, com um crescimento de 569% comparado há 1 ano, em virtude das 2 ofertas públicas que ocorreram no período.

 

VISC11

Divulgou comunicando informando o encerramento da 5ª emissão de cotas e que foram subscritas e integralizadas 2.166.486 novas cotas. Perfazendo assim o montante total colocado de R$ 227.047.732,80 observado o valor da nova cota.

 

XPLG11

Emitiu relatório gerencial lembrando que em 04/09/19 foi publicado o anúncio de início da terceira emissão de cotas no montante de até R$690.000.076,70, sempre juízo de emissão e distribuição de lote complementar. Além disso ressaltou que, desde sua constituição, o fundo permanece como ocupação de 100,0% da área disponível para locação dentro de seu portfólio e não possui histórico de inadimplência pelos locatários.

 

 

Principais rendimentos anunciados com data base* no dia 30/08/19.
Último dia de negociação com direito a proventos.

 

ABCP11 R$0,49 HBTT11 R$11,00 RBDS11 R$6,74
ATSA11 R$0,40 HCTR11 R$2,77 RBED11 R$1,00
BARI11 R$1,00 HFOF11 R$0,58 RBGS11 R$0,26
BBFI11B R$25,71 HGBS11 R$1,40 RBRD11 R$0,52
BBIM11 R$0,68 HGCR11 R$0,74 RBRP11 R$0,28
BBPO11 R$1,06 HGLG11 R$0,75 RBVA11 R$0,90
BBRC11 R$0,92 HGPO11 R$0,87 RBVO11 R$0,20
BCIA11 R$0,85 HGRE11 R$0,74 RDES11 R$0,15
BCRI11 R$0,83 HGRU11 R$0,68 RDPD11 R$0,47
BNFS11 R$0,77 HMOC11 R$1,30 RNDP11 R$5,04
BPFF11 R$0,65 HSML11 R$0,60 RNGO11 R$0,49
CBOP11 R$0,52 HTMX11 R$0,55 SAAG11 R$0,93
CPTS11B R$0,75 JSRE11 R$0,62 SDIL11 R$0,64
CTXT11 R$0,36 KFOF11 R$0,54 TFOF11 R$1,27
CXCE11B R$19,30 KINP11 R$0,09 TGAR11 R$0,86
CXTL11 R$1,18 KNCR11 R$0,57 VILG11 R$0,71
EDFO11B R$1,85 KNHY11 R$0,70 VISC11 R$0,92
ELDO11B R$0,83 KNIP11 R$0,68 VLOL11 R$0,66
EURO11 R$6,85 KNRI11 R$0,74 VRTA11 R$0,85
FAMB11B R$28,98 LVBI11 R$0,71 VSHO11 R$0,62
FIGS11 R$0,13 MALL11 R$0,61 VTLT11 R$0,69
FIIB11 R$2,67 MFII11 R$1,08 WPLZ11 R$0,44
FIIP11B R$0,86 MXRF11 R$0,07 XPCM11 R$0,85
FOFT11 R$0,56 NSLU11 R$1,72 XPHT11 R$0,50
FPAB11 R$1,80 NVHO11 R$0,06 XPLG11 R$0,61
FVBI11 R$0,53 OUJP11 R$0,63
FVPQ11 R$0,54 PATC11 R$0,38
GRLV11 R$0,64 PLRI11 R$0,77
GTWR11 R$0,67 PQDP11 R$15,48

 

 

Livro

 

 

GUIA SUNO FUNDOS IMOBILIÁRIOS: INTRODUÇÃO SOBRE INVESTIMENTOS SEGUROS E RENTÁVEIS | POR MARCOS BARONI E DANILO BASTOS

 

 

 

Carteira Recomendada

 

Analista independente Rodrigo Medeiros, CNPI : Relatório de FII´s + Carteira Recomendada

 

 

Funds Explorer: Relatório de FII´s + Carteira Recomendada

 

 

 

 

DISCLAIMER
Todas as informações desse relatório, referentes aos Fundos Imobiliários em negociação,
foram retiradas de fontes oficiais no site da B3. Releia esses documentos, pode haver erros
na transcrição. Esse relatório não constitui recomendação de investimentos. Você é
responsável por suas decisões. Os artigos publicados aqui são de responsabilidade dos
autores. As informações contidas em sites e perfis de redes sociais divulgadas aqui são de
responsabilidade dos seus respectivos proprietários. Utilize esse relatório como uma
ferramenta facilitadora para o seu aprendizado e não como fonte primária para as suas
decisões de investimento.

Comentários

Compartilhe!

— A importância dos fundos imobiliários e seu ciclo para a carteira previdenciária | Por Victor Vieira